quinta-feira, 23 de julho de 2009

Ser grávida!!!

Antes de ficar grávida imaginava que ser grávida era uma coisa tranqüila, afinal de contas todo mundo fica grávida o tempo todo.
Tem mulheres que ficam grávidas quase que todo ano.
Minha avô paterna por exemplo teve 9 filhos.
Sem falar na materna que teve 19 filhos.
Bem, 19 filhos são pelo menos 19 anos grávida, ela passou quase que 30% da vida dela grávida, então deve ser bom demais ficar grávida. (Pensei).
Mas acho que ter um filho deve ser tão gratificante, que as mulheres que são mães, esquecem de contar o peso da gravidez. (E olha que não estou falando dos quase 15 kilos que ganhei até agora).
A principio, é tudo lindo maravilhoso, não acreditamos no resultado do exame de sangue e após digerirmos a idéia nos olhamos no espelho de perfil a cada 15 minutos para ver se a barriga cresceu. O pai fica babando, com cara de pateta toda vez que olha pra gente.
Esse êxtase continua por alguns dias até que os enjôos aparecem.
Aí fodeu!
É de manhã, a tarde e a noite abraçada com a privada, seus laços ficam tão estreitos que você tem vontade de dormir no banheiro ao ladinho da sua mais nova amiga. Tudo da enjôo, o cheiro do sabonete,o cheiro do shampoo,o cheiro da comida cozinhando e até o cheiro do seu marido (se você for casada hehehe)
Você come já pensando no depois e não adianta, o depois sempre acontece.
Aí você vai no médico, que enfia altas coisas dentro de você para ver como o bebê está e ainda te fala pra relaxar...
Relaxar na cadeia, como é que você relaxa numa mesa fria, de coisas pro ar com alguém te invadindo sem nem te mandar flores, ou levar pra jantar antes!
Com o tempo você se acostuma, com as idas ao banheiro e as invadidas do médico.
Num belo dia você faz a 1ª ultrassom... que coisa linda, ouvir o coração do seu bebezinho, e você se sente tão feliz que nem se importa de o aparelho ficar dentro de você mexendo de um lado pro outro como se você fosse uma massa de bolo.
Finalmente lá pelo 3º mês, você percebe que os enjôos se foram. E imagina que de agora em diante tudo são flores.
Aí que você se engana minha amiga... Pois é agora que o bicho pega.
A barriga cresce sim, mas esparramada (em alguns casos) e ninguém sabe que você está grávida, simplesmente te acham gorda. Aí você entra no busão, e no busão ninguém dá lugar pra gordas. E você morre de vontade de andar com a carteireira do pré natal pendurada no pescoço para as pessoas saberem que você não é gorda, você é grávida.
Nesta etapa auto estima vai lá nos pés e pode até ser chamada de baixa estima. Seus sentimentos estão a flor da pele, suas roupas não te servem mais e você chora... chora bastante, quase todos os dias, sem motivo nenhum.
As vezes eu chorava por que a calça jeans não entrava mais, as vezes eu chorava por que eu não sabia o que fazer, mas eu chorava mesmo assistindo TV. Chorava com o que tivesse passando, novela, jornal ou desenho. Qualquer carinha triste na telinha era motivo pra chorar.
Aí no 4º mês você já se parece uma grávida, é tudo muito legal, as pessoas te passam na frente na fila do supermercado, e em alguns até tem uma fila especial pra gente como a gente. O melhor do 4º mês é descobrir o sexo do bebê, e se eu já chorava ao ver madagascar, ver o bebê formadinho na tela da ultrassom então!
Há, nesta etapa a ultrassom já é externa e você já se acostumou com as invadidas do seu médico. Dá até pra ouvir o coraçãozinho do bebe a cada visita do pré natal.
Parece que os problemas acabaram , que agora tudo é tranqüilo...
Mas não é!!!!
O bebê começa a mexer, e que coisa mais linda é sentir ele mexer... mas aí chega uma hora que ele mexe tanto que você tem vontade de vomitar. E quando ele não mexe você quase entra em pânico. Chegou a hora de se preocupar com o quartinho do bebe. E você vai descobrir como as coisas são realmente caras. Que você precisa de muito mais que um bercinho e um guarda roupas novo, você precisa de cadeirinha para alimentação, bebê conforto, trocador, cadeira de amamentação, carrinho de passeio, dentre outras coisas caríssimas.
A noite você não dorme mais, suas idas ao banheiro pra tirar água do joelho se tornam cada vez mais freqüentes, e Você não tem mais posição confortável para deitar.
Sua barriga coça e você tem que correr e passar um creminho para espantar as malditas estrias, e dependendo da roupa que vocÊ coloca você parece um colchão amarrado pra todo lado. Todo mundo te pergunta sobre o chá de bebê, e você pensa todo chá é de beber...
Por falar em beber, se você pensa em ficar gravida, se prepare... é nesta etapa que você bebe água sem parar. É a fase da ressaca sem chapar... e o ó o BOB.
Você muda totalmente física e psicologicamente e seu marido tem que conviver com suas mudanças repentinas de humor. Há... grave bem o modo como você anda atualmente, por que não me lembro mais como é andar como gente dpeois que passei a andar como uma Pata, por causa do meu peso. L
Sem falar nas coisas que a gente esquece de comentar, como por exemplo, o momento da escolha de um nome que não tenha duplo sentido, que não seja brega, e que não seja motivo de piadinhas na escola. Ou sobre os questionamentos de pessoas não grávidas que se você soubesse responder não teria com o que se preocupar.
E os palpites sem nenhum embasamento cientifico que as pessoas insistem em dar!

E isso faltando ainda 4 meses para o bebê nascer. Não tenho mais esperanças que tudo sejam flores sem espinho.
Sei que de agora em diante tudo será ainda mais diferente e digamos que de certa forma, ainda mais difícil. Mas não posso reclamar, afinal de contas, ter um filho é um presente de Deus que deveras temos que conquistar todos os dias durante 9 meses e cuidar pelo resto de nossa vida.
Não posso negar que estou ansiosa para conhecer o Matheus e ver o poder que ele tem de modificar minha vida pra sempre!

Um comentário:

Priscila disse...

Muito bom Fabiana.
Estou grávida de 2 meses. E realmente acredito em vc. Pq lendo o seu texto ri e chorei muito, acredita? Estou ficando boba mesmo hehehe
Um beijo e bom parto!!!